Em Viagem

O que fazer em Blumenau (SC): um guia completo para sua viagem

Cidade conhecida por suas raízes europeias (mais precisamente, alemãs), Blumenau encanta turistas apaixonados por história. É possível reconhecê-la na arquitetura, nos museus, parques e até em conversas com pessoas locais (tenho uma amiga que mora lá a pelo menos dois anos e percebi como é cativante o jeito como ela fala do lugar). Se você está pensando em viajar para Santa Catarina, não deixe de fazer uma visitinha à cidade e acompanhe nosso guia sobre o que fazer em Blumenau. Veja também onde ficar, em quais restaurantes comer e o que fazer a noite, além de saber alguns pratos típicos que você não pode deixar de experimentar.

O que fazer em Blumenau? 

Em três dias é possível conhecer toda a parte turística de Blumenau com tranquilidade. Se você tiver só dois dias, não se preocupe, também dá tempo. O roteiro que vou relacionar a seguir se resume à museus sobre a história da cidade, passeios para fazer a pé e lugares para comer. Blumenau possui ainda dois parques apropriados para fazer trilha e contemplar a natureza, mas não os visitei e nem realizei as atividades, porque estava viajando sozinha. Para conhecimento, são eles: Parque das Nascentes (Rua Progresso, 167, Progresso) e Parque Spitzkopf (Rua Bruno Schreiber, 3777, Progresso). 

1 - Visitar o Museu da Família Colonial 

Museu da Família Colonial | Foto: Gabriele Spiess
Este museu conta a história da colonização de Blumenau por meio de uma visita guiada. É possível conhecer mais sobre o fundador da cidade, seus familiares e ainda observar diversos cenários da época, por meio de maquinários, mobiliários, vestimentas, acessórios e utensílios de uso doméstico. Ao todo, o acervo é de 6200 peças. 

O que me chamou atenção neste espaço foi poder ter contato com a história de Edith Gaerther, sobrinha-neta do fundador da cidade, Hermann Bruno Otto Blumenau (1819-1899). A atriz é considerada uma mulher a frente do seu tempo por ter saído de Blumenau e viajado para a Alemanha aos 20 anos para realizar o sonho de ser atriz. Ela também tinha o costume de usar roupas mais curtas do que o natural para a época. Edith não se casou e nem teve filhos; ao longo de sua vida, teve muitos gatos de uma vez e os ia enterrando no quintal de casa. Ainda é possível visitar o Cemitério dos Gatos, anexo ao complexo do Museu, mas estava chovendo no dia de minha visita, então não tive a oportunidade. 

Serviço:
Museu da Família Colonial

Endereço: Alameda Duque de Caxias, 78 - Centro
Funcionamento: de terça à sexta-feira, sábado e domingo das 10h às 16h
Ingressos: R$4,50 a inteira; R$2,25 a meia-entrada

2 - Visitar o Museu de Hábitos e Costumes 

Museu de Hábitos e Costumes | Foto: Gabriele Spiess 
Bem próximo ao Museu da Família Colonial está o Museu de Hábitos e Costumes, local interessante para quem gosta de roupas, acessórios e pertences de época. O acervo contempla peças sobre como seria morar e viver em Blumenau desde o final do século XIX ao começo do século XX, representadas por chapéus, brinquedos, bolsas, vestimentas, berços e outros itens, inclusive de uso doméstico. Este museu não tem visita guiada. 

Serviço: 
Museu de Hábitos e Costumes 
Endereço: Rua Quinze de Novembro, 25 - Centro
Funcionamento: de terça à sexta-feira, sábado e domingo das 10h às 16h 
Ingressos: grátis. 

3 - Visitar o Museu Hering 

Este museu, com visita guiada, conta justamente a trajetória social e econômica da marca Hering, desenvolvida pela família e, principalmente, pelos irmãos Hermann e Bruno Hering. Com salas expositivas e interativas, é possível conhecer desde de como surgiu a primeira ideia empreendedora da marca (que buscava desenvolver uma malharia barata para os trabalhadores da região) até às ideias de sustentabilidade defendidas pela Hering hoje. É possível ainda visitar o jardim suspenso que fica na casa, mas os horários são restritos e eu não consegui.

Serviço:
Museu Hering 

Endereço: Rua Hermann Hering, 1740 - Bom Retiro
Funcionamento: de segunda a sexta das 9h às 18h, sábados e feriados das 10h às 16h; em janeiro, julho e outubro, o museu também abre aos domingos.
Ingressos: grátis

*Por fim, também está disponível na cidade o Museu da Cerveja (Rua Quinze de Novembro, 160 - Centro)já que Blumenau é conhecida como a capital brasileira da cerveja e possui uma série de cervejarias artesanais - e eu fui até lá, mas não achei tudo isso. No lugar, estão expostos alguns maquinários e garrafas de cervejas antigas, mas não há visita guiada. 

4 - Tirar uma foto no Relógio das Flores 

Relógio das Flores | Foto: Luiza Lamas
Até agora pode não parecer, mas tem muito mais o que fazer em Blumenau do que só visitar museus. Para garantir registros legais da viagem, você também pode passar pelo Relógio das Flores, que inclusive funciona. Se olhá-lo de longe, dá para ler Blumenau e os números principais do relógio: 3, 6, 9 e 12.

Serviço:
Relógio das Flores
Endereço: Praça Victor Konder - Centro

5 - Observar a fachada da Prefeitura Municipal 

Prefeitura Municipal de Blumenau | Foto: Gabriele Spiess
O prédio da Prefeitura Municipal foi inaugurado em 1982, onde antes funcionava a estação ferroviária. A construção é uma imitação da técnica enxaimel (quando as paredes são montadas com hastes de madeira encaixadas entre si na horizontal, vertical ou de forma inclinada e os espaços são preenchidos por pedras ou tijolos) e foi inspirada nas edificações do período colonial. Vale uma bela foto!

Serviço:
Prefeitura Municipal de Blumenau

Endereço: Praça Victor Konder - Centro

6 - Visitar a Catedral São Paulo Apóstolo 

Catedral São Paulo Apóstolo | Foto: Gabriele Spiess
A Catedral São Paulo Apóstolo não é uma parada somente para pessoas religiosas, pois é uma igreja belíssima. A construção possui uma torre de 45 metros de altura com três sinos eletrônicos que representam Jesus, Maria e José. Além disso, o interior da igreja não deixa a desejar: conta com vitrais com efeitos de luminosidade e coloração.  

Serviço:
Catedral São Paulo Apóstolo

Endereço: Rua Quinze de Novembro, S/N - Centro

7 - Andar pela Vila Germânica 

Vila Germânica | Foto: Gabriele Spiess
É no Parque Vila Germânica que acontece a famosa Oktoberfast. Todas as construções ali (restaurantes, bares e lojinhas de lembrancinhas, basicamente) imitam as edificações do período colonial e são bastante coloridas e chamativas. É um ótimo lugar para fazer uma refeição e tirar muitas fotos. 

Serviço:
Parque Vila Germânica

Endereço: Rua Alberto Stein, 199 - Velha

8 - Andar pelo Parque Ramiro Ruediger 

Parque Ramiro Ruediger | Foto: Luiza Lamas
Próximo à Vila Germânica, está o Parque Ramiro Ruediger, um ótimo lugar para fazer uma caminhada e observar a paisagem e as árvores. Ali, há um lago, pista para caminhada, para corrida e inclusive uma lanchonete para matar a fome; porém não cheguei a comer ali, então não posso indicar.

Serviço:
Parque Ramiro Ruediger

Endereço: Rua Alberto Stein, 416 - Velha

Onde ficar em Blumenau? 

Blumenau tem diversos hotéis e hostels disponíveis, além de possivelmente você conseguir alugar algum apartamento ou quarto se quiser. Em minha estadia lá, escolhi o Hotel Mansiones (R. Padre Jacobs, 45 - Centro), com café da manhã incluso (tinha diversos pães, frios, cremes e bolos, além do tradicional ovo mexido, salsichas e pães de queijo).

A localização do edifício é ótima (dá para sair de lá e ir a pé até a maioria dos lugares que citei no artigo) e o quarto muito confortável, com frigobar. O único problema que tive foi no segundo dia, quando a fechadura da minha porta não abria mais com o cartão magnético. Não me convidaram a mudar de quarto, então toda vez que precisava entrar na hospedagem, tinha que pedir para a recepção abrir a porta para mim.

O que comer em Blumenau?

Especificamente, recomendo não deixar de comer três pratos de Blumenau: a torta glória, feita no Cafehaus Glória (restaurante do Hotel Glória); as cucas e a linguiça Blumenau, que não chega a ser apimentada, mas é forte o suficiente para ser diferente da linguiça calabresa que os paulistas estão acostumados. 

Além disso, não deixe de aproveitar uma tarde na Senhora Farinha Bakery, uma espécie de cafeteria, frequentada pela nata da sociedade de Blumenau, mas com doces e bebidas muito saborosas. 

Torta Glória 

Torta Glória | Foto: Luiza Lamas
A torta glória é feita de bolacha de chocolate (a base dela, essa casca que vemos na lateral e encostada no prato), brigadeiro (logo acima da casca de chocolate), morangos, ganache e chocolate branco. É simplesmente irresistível e imperdível, dá água na boca!

Cucas 

No café da manhã do hotel que fiquei e também no Cafehaus, consegui provar as famosas cucas, muito conhecidas em Blumenau. São diversos sabores para experimentar, mas as mais populares são de banana com farofa e chocolate com farofa (a que eu mais gostei, porque sou doida por chocolate). 

Linguiça Blumenau 

Linguiça Blumenau | Foto: Luiza Lamas
Por fim, mas não menos importante, um prato salgado para comer é a linguiça Blumenau. Experimentei-a em uma batata recheada (que também é muito consumida por lá) e o sabor é forte, mas bem delicioso. O que não fica bom se a combinação é batata? 

Senhora Farinha Bakery 

Cappuccino, bolo de chocolate e cookie na Senhora Farinha Bakery | Foto: Gabriele Spiess
Esta é uma espécie de cafeteria muito arrumada em Blumenau, frequentada por turistas e, pelo que percebi passando algumas horas lá, a nata da sociedade da cidade. O lugar é muito gostoso para trocar ideia com os amigos e ter um momento de gente fina. Como passamos lá a tarde, depois de visitar outros lugares, eu estava de regata, shorts e tênis de caminhada, mas sugiro ir um pouco mais arrumada do que isso para lá. 

Serviço: 
Senhora Farinha Bakery 
Endereço: Rua Paraíba, 256 D - Victor Konder 
Funcionamento: de terça a sexta, das 14h às 20h, sábados e domingos das 9h às 19h; aos sábados e domingos, há brunch das 9h às 14h (não experimentei). 

Você já visitou ou é de Blumenau? Deixe suas impressões sobre a cidade nos comentários! Se tiver alguma dúvida, vou responder o mais rápido possível!

Postagens Relacionadas

6 comentários:

  1. Eu adoro coisas antigas, com certeza ficaria louca com esses museus. Mas confesso que a comida foi o que mais me chamou atenção, coisas diferentes e que parecem ser deliciosas. Deu até vontade de conhecer Blumenau! Vou botar na minha listinha de viagens. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Acho que eu sou igual você, toda vez que leio sobre um destino, tenho vontade de colocá-lo na minha lista, hahaha. Acho que você ia adorar Blumenau!

      Excluir
  2. Como resistir a uma torta glória, não é mesmo? Amei a visita e a experiência de guia pela cidade kkkkk Sinta-se muito bem vinda. Sempre. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simmmm, meu deus! Obrigada por ter feito eu experimentar esse doce e ainda mais por me acompanhar <3

      Excluir
  3. Ahh, adoro conhecer locais novos e o sul do país é um local que quero muito explorar mais. Adorei suas dicas, aliás, adoro esses guias de viagem, sempre ajudam muito.

    Beijo!!

    https://www.amorpelaspaginas.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ray! Espero que você consiga ir para o sul em breve (depois que toda essa situação passar, claro) e conhecer Blumenau. Se por acaso você gostar de praia, recomendo dar um pulo em Bombinhas também :)

      Excluir

@bloglivriajando